SEMANA 7 – DIÁRIO DE GRAVIDEZ

SEMANA 7 (11/01 a 17/01)

Ansiosíssima para a consulta, digamos que não foi bem o que eu esperava.

Devido a algumas informações que colhi nessa semana, obviamente me surgiram muitas dúvidas, principalmente com relação ao parto, uma vez que sofro com Iatrofobia (medo de ir ao médico), então resolvi despejá-las ao médico.

E lá fomos nós, eu e Davi em nossa primeira consulta com o ginecologista/ obstetra, sendo a primeira vez que eu consultava com ele, pois mudou meu plano médico.

O médico me perguntou sobre a última menstruação e já calculou a data possível para o nascimento, sendo este dia 30/08/19, fiquei feliz, um mês após o aniversário de minha mãe.

Após isso, me passou as primeiras restrições com peixes crus, atividades físicas, me liberando somente para caminhadas, hidroginástica e pilates.

-Mas Dr. Não posso retomar a musculação após o terceiro mês? Não!

Fiquei muito chateada, pois já presenciei várias gestantes na academia, mas vamos obedecer né, quem sabe depois não consigo convencê-lo.

Não carregar pesos

Não fazer muito esforço

Não usar tinturas, podendo tinturas sem amônia após o terceiro mês.

Manter uma alimentação balanceada. (Já estou sendo acompanhada pela nutri)

Tomar bastante água.

Evitar de limpar a caixinha de areia dos gatos.

Bom, retomando sobre o parto, resolvi questioná-lo, pois sempre ouvi da minha mãe que por ter quadril pequeno, meu parto seria cesariana, caso um dia eu engravidasse.

O médico meio que repetiu essa informação.

Até esse momento eu realmente ainda não sabia qual parto me agradava mais.

Gostaria sim de ter um parto normal, até humanizado, porém, vi muitos relatos de “piques exagerados”, entre outras violências obstétricas e isso me deu muito pavor.

Quando citei isso ao médico, ele pareceu desconfortável e quis de todas as formas me mostrar o quanto era bom naquilo que fazia e que jamais cometeria um erro desses, uma vez que já tinha realizado muitos partos, dentre o de quase todas as mulheres de sua família. Enfatizou o quanto se preocupava com o bem estar da gestante, mas infelizmente não me passou muita confiança.

Neste momento, o clima pareceu tenso na sala dele e talvez eu tenha abordado o assunto de maneira brusca, não sei, só sei que não me senti mais bem ali.

Fora esse mal estar, não posso reclamar da consulta, pois o médico foi muito atencioso, tirou todas as minhas dúvidas.

Ao sairmos de lá, meu marido me chamou a atenção pelo jeito com que eu havia abordado esse assunto de violência obstétrica e que por isso, o médico acabou sendo tão rude quanto eu e demonstrando de todas as formas que era um excelente médico.

De fato, só fui me consultar com ele, pois tive duas ótimas indicações, sendo que somente havia ele e mais uma médica no plano e dessa outra médica eu ouvi comentários desagradáveis sobre seu trabalho.

Cheguei em casa aos prantos, pois já havia colocado em minha cabeça que não queria ele como médico, mas aos poucos fui refletindo sobre minha atitude também e resolvi continuar com ele.

Bom, sobre essa semana, reparei que as náuseas estavam melhorando, eu já estou  na terceira caixa de remédio para náuseas e não gostaria de ficar tomando tantos remédios assim, então quando vi que melhorei, deixei de tomar, porém, no final desta semana, voltei a passar mal de náuseas e agora minha enxaqueca também resolveu dar o ar da graça.

Nessa semana uma coisa muito triste me aconteceu, perdemos nosso cachorrinho.

Ele acordou com muitas convulsões, problema antigo, além da idade avançada, da cegueira e da falta de coordenação dele. Já estávamos nos preparando para esse dia, mas é sempre muito doloroso perder nossos bichinhos, que pra mim, são como filhos mesmo.

Ficamos com ele até seu último suspiro, mas precisamos fazer isso, pois quando retomava da sedação em que estava, ele convulsionava novamente, fazendo com que seu sofrimento só aumentasse e o nosso também, por vê-lo naquele estado.

É, essa semana foi agitada, cheia de baixos, mas ainda meu coração está radiante pela boa nova, por essa nova vida que gero em meu ventre.

A gratidão não cabe em mim e graças a Deus, eu e Davi estamos nos tornando bem responsáveis, planejando nossa vida em todas as áreas.

Que assim seja, que continuemos com essa vitalidade, pois ainda há muito que fazer para a chegada do nosso(a) bebê.

Há! Já estamos planejando o chá revelação que será realizado em 17/02.

Já compramos as coisas, já elaborei o convite e estamos super ansiosos para esse momento tão especial.

Vou contando tudo para vocês nos próximos diários!

Espero que estejam gostando.

Um beijo e até o próximo post.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s