SEMANA 36 – DEPRESSÃO NA GESTAÇÃO

Olá queridos(as).

Sei que estou atrasadinha com os posts, mas eu perdi minha senha e não conseguia recuperar, além da depressão que vou lhes contar aqui, enfim, alguns fatores colaboraram para o meu sumiço, mas agora voltei e com muito conteúdo, principalmente sobre a maternidade, então espero que gostem…

Vamos dar um pulinho, da 17ª semana, para a 36ª semana de gestação…

SEMANA 36 (03/08 A 08/08)

Pois é, quase 20 semanas se passaram, então vou tentar resumir o que aconteceu nesses últimos meses.

Quando completei 20 semanas, foi um marco, pois metade da gestação havia passado, porém, sabia que ainda tinha um longo caminho pela frente.

Cada fase foi vivida intensamente, ainda está sendo.

Já ouviram falar que o segundo trimestre é a lua de mel da gestante?

É mais ou menos isso mesmo, porém, para mim houve uma ressalva, uma vez que minha depressão piorou.

Talvez por conta de ter parado com o medicamento, e mesmo com acompanhamento psicológico, ficou muito difícil essa fase.

 

DEPRESSÃO NA GESTAÇÃO

Todos sabemos que gestar é um milagre, é uma dádiva, porém, quando se está depressiva, os medos, as angústias e a solidão são muito maiores.

Por esse motivo, pensei em ir atrás de algum medicamento fitoterápico ou floral e resolvi questionar meu médico a respeito e sabe o que eu ouvi?

-Não há antidepressivo melhor do que a gravidez!

Fiquei pasma. Como um médico de tão alto gabarito poderia brincar com algo tão sério.

Isso pra mim foi uma afronta, pois ele não sabia pelos problemas que havia enfrentado, na minha concepção, jamais deveria ter dito isso, mas vida que segue.

Queria eu que ele estive coberto de razão, mas as coisas não funcionam desta maneira.

Tentei seguir adiante somente com acompanhamento psicológico e tentando mais uma vez ser forte o suficiente para sair deste estado de depressão.

O fato de eu estar sem um emprego no momento foi algo que mexeu muito comigo, eu teria que aprender na marra a ficar mais quieta, aceitar o que a vida estava me propondo.

Ao mesmo tempo que eu me sentia mal por isso, eu me culpava, pois sabia que seria mais incomodo estar trabalhando nesse momento, com tantos mal-estar e dores.

Isso me atormentou por muito tempo e minha depressão só piorava, pois eu tinha várias crises de ansiedade, muito choro, tristeza e culpa por estar me sentindo assim, mesmo com um bebê a caminho.

Sentia que estava passando tudo isso pra ele e eu não queria isso jamais.

Lutei muito com meu emocional. Meu marido me ajudou muito com conversas e carinho e eu fui criando forças.

Infelizmente minha psicóloga teve alguns problemas pessoais e precisou cancelar minhas sessões e mais uma vez eu tive que ser forte para passar por isso, sem remédios, sem auxílio profissional, sem exercícios físicos que tanto me ajudavam.

E assim fui levando, dia após dia, tentando olhar para meu emocional com carinho, evitando de me culpar e me julgar o tempo todo. Não foi fácil!

Outra culpa que estava me atormentando era a alimentação. No começo do terceiro trimestre eu sentia muita fome, ainda seguia à risca o cardápio da nutri, porém, a fissura por doce aumentava, devido a ansiedade e antes de dormir eu adorava tomar um leite quente com bolachas e ela havia proibido isso.

Decidi então não me privar mais, pois isso estava me gerando outra culpa desnecessária, uma vez que nas refeições principais e nos lanches eu estava comendo de forma correta e equilibrada, com frutas, verduras e legumes.

Mas em uma semana acabei exagerando nos doces e comecei a tomar meu leite com bolachas a noite e engordei uns dois quilos em quinze dias e ela se espantou, com razão.

Também me espantei, mas meu corpo não havia mudado tanto, era só a barriga que estava crescendo mesmo, então resolvi me livrar desta culpa e não fui mais as consultas.

Eu sabia que isso poderia me gerar uma frustração muito grande depois, pois eu poderia engordar além do recomendado, mas não liguei, nesse momento meu emocional contava muito mais pra mim.

Claro que me preocupei em manter uma alimentação equilibrada, mas não me privava de nada que tinha vontade.

Hoje com 36 semanas, estou pesando 60,9kg, engordei 14kg até agora e meu desejo era engordar no máximo 10kg, mas foi uma escolha e por enquanto não me arrependo, pois estou dentro do recomendado para o meu corpo e não estou colocando a minha saúde, nem a do meu bebê em risco, pois meus exames estão todos ok.

Acredito mesmo que passar por essa turbulência emocional foi a parte mais difícil até o momento.

Sei que cada fase é uma fase e que todas elas vão haver dificuldades, inclusive tento preparar meu emocional para o parto, que sem dúvida será o mais tenso, porém, mais mágico, pois vou poder conhecer meu principezinho.

 Espero que tenham gostado,

Um beijo e até o próximo post!

Profissão: Dona de Casa

Olá queridos e queridas!

Hoje vim contar um pouco da minha experiência, como está sendo ser “dona de casa”.

Sei que hoje em dia essa “profissão” já nem existe mais ou estou enganada?

Antigamente o que era regra, virou exceção.

A mulher ganhou seu espaço no mercado de trabalho e com isso se afastou um pouco das tarefas domésticas, porém, ao meu ver houve um ledo engano, pois sabemos que mesmo a mulher que trabalha fora, ainda assim, tem a necessidade de cuidar da casa, salvo raras exceções onde a pessoa vive muito bem financeiramente para contratar uma secretária do lar, caso contrário, além de trabalhar fora, a mulher sim, precisa realizar tarefas domésticas, que não são fáceis.

A minha experiência se deu, quando após alguns acontecimentos inesperados que tiraram meu chão, precisei me recolher e descansar a mente e o corpo, então, após algumas conversas com meu marido, que sempre me apoiou, decidimos então, que eu ficaria em casa por algum tempo, um tempo necessário para minha recuperação.

Não foi fácil de início, confesso, pois trabalho desde meus 16 anos de idade, o que sempre me proporcionou a liberdade financeira, porém, eu realmente me via precisando de um tempo para assimilar os acontecimentos e tomar um novo rumo.

A minha primeira dificuldade não foi em executar as tarefas domésticas, exceto cozinhar, pois nunca fui muito boa, mas do resto sempre tirei de letra, pois sempre fiz, adoro organizar coisas. A parte da limpeza é mais chatinha mesmo, mas do resto, tranquilo.

A minha maior dificuldade foi em realmente aceitar que hoje eu sou uma “dona de casa” e como é ruim não ter dinheiro para comprar algo que nos agrada ou algo que simplesmente desejamos, porque, felizmente nunca nos faltou nada nesse tempo, mas os gastos tiveram que ser reduzidos, afinal, menos dinheiro entrava.

É interessante como nos moldamos ao mundo atual, cheio de compromissos, em que a mulher tem que trabalhar fora, e que cuidar da casa é uma função desmerecida e realmente foi isso tudo que senti no começo e eu queria muito desconstruir isso.

Eu sempre dizia que nunca seria dona de casa, mas qual o problema nisso?

Enfim, o que já estava sendo difícil, piorou um pouco mais quando descobri que estava grávida, pois eu sabia que teria que ser menos ativa, me cuidar mais e que agora, nem que eu quisesse, poderia voltar a trabalhar fora, porque infelizmente o mundo corporativo dificilmente contrata gestantes.

Bom, agora mais ainda temos que desconstruir isso.

Para isso, muitas e muitas conversas com o marido, com a psicóloga e muita auto reflexão, pois apesar de parecer algo tão bobo, a cobrança da sociedade é enorme. Sinto na pele, quando digo que não trabalho fora.

A cobrança as vezes vem de nós mesmos, eu sentia que não era suficiente tudo que estava fazendo, quando as finanças apertavam, era pior ainda, quando via meu marido chegar cansado em casa e ainda ter que trabalhar mais, eu pirava, mas graças a Deus, tenho um marido super consciente e que me ajudou a entender essa situação.

Ele me fez enxergar que também trabalho duro aqui em casa, pois quando decidimos tomar essa decisão juntos, eu realmente fiquei com todo trabalho da casa, limpeza, organização, cuidado com os bichos, compras, cuidar das roupas,tudo, tudo da casa sou eu que resolvo e ele me ajudou a entender que é um grande trabalho, principalmente agora com a gravidez,que com certeza dificulta algumas tarefas.

Nós entendemos que somos uma equipe e que por mais que eu não esteja ajudando financeiramente, estou ajudando com todo o resto.

Mas a vida de dona de casa não tem só pontos negativos, apesar de a gente trabalhar dia e noite, temos nosso momento de descanso, fazemos nosso próprio horário, podemos acordar mais tarde quando queremos, enfim, trabalhamos por conta.

E aí alguns vão perguntar: ah! mais e o salário?

Como eu disse, aqui em casa nos consideramos uma equipe, não há machismo, nem feminismo, há companheirismo e dividimos tudo. Temos uma conta conjunta e administramos juntos as contas e eu possuo meu cartão de crédito próprio, portanto, me sinto livre para usar o dinheiro, porém, com um pouco mais de responsabilidade.

E sabe que isso foi muito bom, pois me fez não gastar mais com coisas desnecessárias e que as vezes comprava só por prazer. Entrou aí o consumo consciente, que cada vez mais me adapto a ele, tanto nas compras, quanto nas coisas mesmo, me desapegando de roupas, sapatos, enfim, aderindo o menos é mais.

É claro, que como sempre fui uma pessoa muito ativa, pretendo sim um dia voltar a trabalhar fora, ou talvez em casa mesmo, pois esse é meu maior sonho hoje, poder trabalhar em casa e estar presente na vida do meu filho, quando ele chegar.

Um assunto que pode render outro texto, já que também é motivo de conversas e reflexões aqui em casa.

Espero que tenham gostado e caso se identifiquem, deixe seu comentário, que adorarei interagir com vocês.

Um super beijo e até o próximo post!

 

 

SEMANA 17 – DIÁRIO DE GRAVIDEZ

SEMANA 17 (22/03 a 28/03)

Mais uma vez não há nada de novo para anotação semanal, portanto, decidi postar agora mês a mês e não ficar sem conteúdo sobre o assunto.

O que mais me incomoda o momento realmente são as dores na lombar, a indisposição e cansaço que sinto durante o dia. E agora a barriga parece que começa a pesar e por isso o cansaço intenso.

Neste momento, estou pesando 50,7Kg e pretendo me cuidar nesse sentido, apesar de estar dentro do esperado.

Não vou me privar de nada nesse momento, porém, pretendo manter como regra a alimentação saudável.

As caminhadas estão bem de leve, quase que uma vez por semana somente, mas pretendo procurar uma outra atividade para complementar esta, já que não estou sendo tão disciplinada assim.

Pretendo nos próximos posts, trazer outros assuntos que não sejam relacionados a maternidade ou que sejam, mas que não se resumam em diário de gravidez.

Caso tenham alguma sugestão, deixe nos comentários, que terei o prazer de pesquisar e montar um post com muito carinho.

Um beijo e até o próximo post!

SEMANA 15 e 16 – DIÁRIO DE GRAVIDEZ E CARDÁPIO ATUAL

SEMANA 15 (08/03 a 14/03)

Essa semana foi mais tranquila, realmente já não tenho mais as indesejadas náuseas.

As mudanças da casa andam a todo vapor.

Essa semana havia agendado uma consulta com uma outra obstetra para poder comparar e decidir se continuava com o meu médico ou se trocaria, porém, houve conflito de horário na agenda e só percebi em cima da hora que a nova consulta seria no mesmo horário da psicóloga, até tentei enviar mensagem a ela, mas ela não me retornou, então decidi desmarcar, deixar quieto e continuar com médico mesmo, afinal, percebi que o importante não é a simpatia dele e sim se ele é um profissional competente e disso eu não tenho mais dúvidas.

Nessa semana também, resolvemos dar um “descanso” diante da correria que está sendo a arrumação da casa, então passei uns dias com uma amiga e eu e meu marido resolvemos pegar um cineminha, para descontrair.

Também fui ao show do Alceu Valença e foi muito bom, apesar de minhas costas ficarem doendo depois.

Retornei à nutricionista, que por sinal está sendo bem rígida comigo, mas é por que realmente eu andei exagerando nos lanches e guloseimas.

Meu cardápio atual está sendo composto por:

  • Café da manhã: um copo de leite semidesnatado com uma colher de achocolatado, uma fatia de pão integral com requeijão light);
  • Lanche da manhã :Uma fruta ou um iogurte com granola)
  • Almoço: Um prato de salada, duas colheres de arroz integral com cenoura ralada, uma porção pequena de mistura e suco natural.
  • Lanche da tarde: igual ao lanche da manhã;
  • Jantar: Igual ao almoço ou uma porção pequena de massa.
  • Ceia: Vitaminado;

Meus deslizes:

Meu deslize maior sempre foi com doces, portanto, após o almoço sempre sinto vontade, então as vezes me libero e acabo comendo um chocolate.

Outro deslize estava sendo os pães, no lanche da tarde, eu acabava fazendo um  café (sei que não é recomendado, mas era somente uma xícara pequena) e uma fatia de pão integral com queijo derretido. Minha nutri proibiu!

Mais um dos deslizes sempre foram os finais de semana, que eu me dava uma folga da cozinha e aí acaba comendo lanches, pizzas, enfim. Proibido também!

Na verdade ela me orientou que quando eu fizesse essa exceção, pelo menos uma refeição do dia, deveria ser saudável.

Não é fácil, mas estou tentando me regrar novamente, até para não engordar além do necessário.

Quanto as caminhadas, confesso que também estou deixando um pouco a desejar, pois, ando um pouco desanimada essa semana, então acho que fui umas duas vezes só.

Espero que esta fase passe e que eu volte a ter a mesma disciplina de antes, afinal, isso só depende de nós de dos nossos objetivos.

SEMANA 16 (15/03 a 21/03)

Inicio já confessando que esqueci de anotar sobre essa semana, porém,nada muito diferente ocorreu, portanto, na próxima semana já poderei postar em dia os diários.

Quanto a sintomas, o que mais tem me incomodado, são algumas cólicas e dores na lombar, o que sabemos que é perfeitamente normal.

As coisas em casa estão em andamento, mas ainda há muita coisa a se fazer, as vezes tenho até medo que não dê tempo de organizar tudo.

Essa semana caminhei somente um dia, mas estou seguindo mais à risca o cardápio da nutri, o que me tranquiliza mais sobre meu peso.

Então é isso, por enquanto, nada de novo e espero que estejam gostando de acompanhar cada etapa dessa fase linda!

Um beijo e até o próximo post!

SEMANA 14 – DIÁRIO DE GRAVIDEZ

SEMANA 14 (01/03 a 07/03)

Infelizmente essa semana comecei com náusea, mas detectei que elas vem ou por eu comer um pouco a mais ou demorar para comer, então ainda tenho o remédio em mãos para esses momentos, que são poucos, mas que ainda acontecem.

Essa semana de carnaval, resolvemos tirar para fazer as coisas que estão pendentes em casa e também para descansarmos um pouco, vermos filmes, enfim, assim foi nosso carnaval.

Também me sinto mais animada e disposta, então resolvi voltar com as caminhadas e pretendo levá-las a sério, pelo menos 4 vezes na semana.

Então pela manhã, munida de protetor solar, boné e óculos escuros, caminho por uma hora, mais ou menos e aproveito para meditar e agradecer. Adoro esse momento, me deixa ainda mais disposta para encarar o dia e bem mais feliz por criar uma conexão gostosa com meu bebê e por estar me exercitando, isso me motiva a melhorar meus hábitos alimentares também.

Tive mais uma consulta com o médico e analisando o ultrassom, ele me disse que está tudo bem com o nenê, que as medidas estão dentro dos padrões esperados.

Nesta consulta, senti que ele foi um pouco mais atencioso comigo, novamente escutamos o coração do bebê e até o momento, engordei 3kg, dentro do esperado também.

Segundo o ultrassom, minha semana acaba virando no sábado e não na sexta, como calculamos, mas tudo bem, isso é só um detalhe!

Minha amiga me presenteou com um curso de desenho online, o que me ajudou a me animar mais em ter que ficar em casa e contra a ansiedade também.

Já organizamos tudo para começar a arrumação da casa, pintura, etc. Posso dizer que está sendo bem cansativo, mais para o meu marido do que para mim, mas é uma fase bem legal de mudanças e aí que a ficha vai caindo e acaba sendo gostoso também.

Sobre sintomas, essa semana passei mal duas vezes, mas talvez por conta de exageros, porém, o que piorou foram as dores na lombar e algumas cólicas mais intensas.

Essa semana está bem longa, parece que faz umas três semana que estou com 14 semanas.

Um beijo e até o próximo post!

SEMANAS 12 e 13 – DIÁRIO DE GRAVIDEZ

SEMANA 12 (16/02 a 21/02)

A semana já começou tensa, pois devido ao susto, eu estava muito triste com meu obstetra, pois pensei que se ele já tivesse me examinado, já teria descoberto o pólipo e eu não ficaria tão desesperada com o sangramento, apesar de sempre ser motivo de preocupação.

Ainda sem a decisão formada sobre a troca de médico, resolvi ir na consulta que já estava agendada para segunda feira, devido a urgência.

Nessa consulta, relatei tudo que houve e ele me examinou finalmente. Localizou o pólipo e me informou que não era o pólipo que estaria sangrando e que era para eu continuar com o medicamento.

Me informou também que o pólipo não causaria um aborto devido a sua localização e que faria a remoção deste, somente a partir do 4º mês.

Felizmente, essa foi a melhor consulta que tivemos. Consegui sair mais tranquila de lá.

Foi então que resolvi entrar em repouso sério, parar quieta mesmo, já que para mim é muito difícil, pois sou muito ativa, mas não posso arriscar a vida do meu bebê por bobagem.

Sábado chegou e com ele meus 32 anos de vida. Foi um dia maravilhoso. Durante o dia sai em passeio com minha família e à noite saímos com amigos.

Fomos num barzinho maravilhoso aqui da minha cidade e minhas amigas me fizeram surpresa, foi lindo!

Finalmente chegou o domingo, dia do Chá revelação.

Essa noite foi longa, pois estava em pé às 5:30 da manhã, sem conseguir dormir mais devido a ansiedade.

No dia anterior já havia deixado os docinhos prontos, encomendado os salgados e só faltava mesmo a decoração.

Começamos com ela no domingo de manhã, meu irmãozinho veio em casa e me ajudou a encher os balões.

Meu marido limpou a casa toda para mim, mas quando vimos já estávamos atrasados.

Após alguns estresses, estávamos montando a decoração com a  ajuda das amigas queridas e os convidados foram chegando.

As 17:00 estouramos o balão!

O tema do chá foi do Batman e da Mulher Maravilha, então as cores refere-se ao tema.

É menino!!! Teremos um menino!!!

Fiz um vídeo dos convidados sobre suas opiniões, antes de estourarmos o balão e a maioria disse menina, erraram feio, assim como eu, que tinha certeza que seria menina. ahhahahah

Sei que foi muito gostoso, muito emocionante e estamos muito felizes!

Ainda sigo em repouso e torcendo para sexta feira chegar e conhecermos nosso bebê, será nosso primeiro ultrassom, esse de transluscência nucal, um ultrassom muito importante.

 

SEMANA 13 (22/02 a 28/02)

Durante essa semana nenhuma novidade quanto aos sintomas, em alguns momentos senti enjoo, mas nada tão intenso quanto as primeiras semanas.

Na sexta feira, dia do ultrassom, chegamos à Clínica e uma enfermeira muito gentil nos atendeu, me preparou para o ultrassom, mas para meu descontentamento, não pude filmar, nem tirar fotos, nada, fiquei muito triste, mas vida que segue.

Infelizmente fomos mal atendidos pelo médico que realizou o ultrassom, ele não teve nenhum cuidado em nos explicar sobre as medidas, placenta, útero, enfim, por mais que nós ficássemos fazendo perguntas, ele respondia de qualquer jeito e saímos de lá bem insatisfeitos.

Como mencionei na semana anterior, devido aos fatos, resolvi ficar em repouso, então não saí muito de casa, só fiz as coisas de casa mesmo, sem muito esforço.

Recebemos um convite para participar sobre uma roda de gestantes que aconteceu no Espaço Essencia do Ser, aqui em Piracicaba e fomos.

Foi muito bom, a roda foi liderada por uma enfermeira obstetra e uma doula e psicóloga.

Aprendemos de mais naquela noite, foram tantas informações úteis e o tema era sobre a desmitificação do parto, sendo abordado vários assuntos relacionados ao parto, mas muitos que eu inclusive achava que era real e ali fui muito feliz em descobrir algumas coisas, como:

 

  • Tipos de placenta e seus mitos, placenta envelhecida, placenta prévia;
  • Bebê em posição invertida;
  • O grande mito do quadril estreito;
  • Tempo de gestação e alguns mitos a respeito;
  • O mito do cordão umbilical enrolado

 

Enfim, esses foram alguns dos assuntos abordados.

Sei que a conclusão que tive foi que muito do que sabemos ou escutamos sobre os partos é mito, exceto em alguns casos que é necessário o procedimento da cesárea.

E não estou dizendo isso somente pela palestra, venho estudando a respeito e vendo o quão banalizado está sendo os partos de hoje em dia, com muita incidência de violência obstétrica, enfim, é um assunto muito extenso, mas se você se interessou, deixo a dica do documentário disponível na Netflix (O renascimento do parto) que relata bem sobre o assunto.

Por isso, não deixem de pesquisar, nem sempre vamos ouvir coisas boas, inclusive do nosso médico, porém, apesar de todo conhecimento que ele carrega, ele pode te influenciar de maneira negativa.

Não deixe de ir o médico, claro, mas não deixe de estudar sobre esse fenômeno NATURAL que está acontecendo com seu corpo e lembre-se, seu corpo, suas regras!

Essa semana também aproveitei para iniciar uma corrente de meditação que recebi, inclusive para segurar a ansiedade pelo fato de eu estar em repouso e tem me feito muito bem.

Espero que tenham gostado.

Um beijo e até o próximo post!