NASCE UMA MÃE, NASCEM OS PITACOS

Olá pessoal, tudo bem?

Espero que sim!

Hoje vim escrever um pouco sobre os palpites que chegam com a maternidade.

Na verdade não é a maternidade a culpada e sim aqueles que não respeitam a maternidade alheia, uma vez que palpitam em tudo o que você faz para seu filho, com base na própria experiência, como se todos os bebês fossem iguais.

Para piorar, a maternidade hoje não é mais a mesma de antigamente, as coisas mudaram, o jeito de dormir, de amamentar, hoje o conhecimento está mais acessível, porém, nem sempre o conhecimento vai te salvar.

Digo isso porque algumas coisas de hoje em dia não funcionaram com meu bebê. E aí? Reluto porque é algo atual e aquilo, segundo estudos é o melhor a se fazer, ou cedo e tento outras alternativas, mesmo que sejam ultrapassadas?

Esse foi um dos pontos que mais me deixaram confusa no início, pois como mãe de primeira viagem, eu não sabia o que funcionava, por isso os pitacos só me deixavam mais frustrada e fazendo eu me sentir uma péssima mãe.

Acontece que mesmo não nascendo sabendo ser mãe, o instinto maternal existe e no meu caso, eu sabia que estava fazendo de tudo, dando o melhor para o meu filho, porque não existe certo ou errado na maternagem, existe bom senso, é claro, e nós termos ciência de que nenhum bebê é igual ao outro.

Mesmo sabendo que alguns pitacos nos abalam, afinal, sabemos que somos amadores, não devemos deixar que os comentários nos afetem de maneira a nos entristecer e nos sentirmos as piores mães do mundo, pois da mesma forma que os bebês aprendem conosco, estamos aprendendo com eles também.

O ideal é que possamos filtrar os comentários, tentar as alternativas viáveis e seguras para o bebê e lembrarmos sempre do mantra: “VAI PASSAR”, pois cada dia será um aprendizado, uma nova fase que passaremos junto com nosso bebê.

Até o próximo post!